PARQUE EÓLICO 'OFFSHORE' DE VINEYARD WIND 1

Vineyard Wind 1, nosso primeiro projeto de energia eólica 'offshore' nos Estados Unidos

A Iberdrola, através da Avangrid Renewables, participa da construção de um parque eólico offshore ao largo da costa do estado de Massachusetts (Estados Unidos). O parque de Vineyard Wind 1 terá uma potência de 800 MW, com a qual será capaz de atender as necessidades energéticas de mais de 400.000 moradias.

Localização
Em frente à costa do estado de
Massachusetts (Estados Unidos)

N.º aerogeradores
62 turbinas GE Haliade-X de 13 MW

Capacidade total instalada
800 MW

Investimento
2,5 bilhões de euros

Empregos locais
3.600 trabalhadores

Entrada em operação
2023

Parque eólico offshore
de Vineyard Wind 1

Vineyard Wind, empresa que o grupo Iberdrola detém 50 % — através da Avangrid Renewables, filial da AVANGRID* — e pela empresa Copenhagen Infrastructure Partners (CIP), desenvolverá o parque eólico offshore Vineyard Wind 1 ao largo da costa de Massachusetts. Com 800 MW de capacidade instalada e um investimento de 2,5 bilhões de euros, é o maior parque eólico atualmente em desenvolvimento nos Estados Unidos e um dos maiores da Iberdrola no mundo.

O parque estará localizado a 15 milhas (uns 24 km) ao sul da ilha de Martha's Vineyard e a 34 milhas (uns 55 km) ao sul da península de Cape Cod.

O complexo, cuja entrada em operação está prevista para 2023, irá gerar energia eólica suficiente para atender a demanda de mais de 400.000 de moradias e empresas em toda a Comunidade de Massachusetts. Além disso, evitará a emissão de mais de 1,6 milhões de toneladas de dióxido de carbono/ano, o equivalente a retirar 325.000 veículos das estradas. Da mesma forma, durante a vida do projeto serão economizados 3,7 bilhões de dólares em custos relacionados com a energia na região de Nova Inglaterra.

O projeto criará 3.600 postos de trabalho em tempo integral, reduzindo as tarifas de eletricidade em 1,4 bilhão de dólares nos primeiros 20 anos de funcionamento.

Com este novo projeto, que será o primeiro parque eólico offshore em escala comercial nos Estados Unidos, o grupo Iberdrola desembarca no setor da energia eólica offshore no país e confirma seu papel como empresa elétrica de referência mundial nesta área.

ESTADO DO PROJETO

A Vineyard Wind já obteve a aprovação federal do U. S. Bureau of Ocean Energy Management (Gabinete de Gestão de Energia do Oceano dos Estados Unidos, BOEM) para a implantação do projeto de Vineyard Wind 1.

A BOEM já tinha emitido a Declaração Final de Impacto Ambiental (Final Environmental Impact Statement - FEIS) para o parque, uma análise detalhada para avaliar os possíveis impactos ambientais do projeto proposto e informa o Registro de Decisões da BOEM.

Após receber a autorização final da Comissão Federal Reguladora de Energia (FERC), a empresa já assinou um contrato com a ISO New England para conectar sua geração à rede de energia elétrica da Nova Inglaterra na estação de comutação NSTAR de 115 kV em Barnstable (Massachussets).

Uma vez aprovado o início do estudo ambiental federal, ela assinou os contratos de compra e venda de energia a longo prazo (PPA, por suas siglas em inglês) com as empresas de distribuição elétrica de Massachusetts. Atualmente, 70 % dos contratos de fornecimento já estão garantidos.

O parque utilizará os geradores de turbinas eólicas Haliade-X da GE Renewable Energy, que atualmente são os mais potentes em funcionamento, com até 13 megawatts de potência e uma altura de 248 metros. Cada uma dessas turbinas pode economizar 52.000 toneladas de CO2 por ano e em uma só rotação — 38.000 m2 — pode gerar a energia necessária para um lar por mais de dois dias.

Por seu turno, a empresa espanhola Windar Renovables será a encarregada de fabricar as fundações dos aerogeradores. O contrato tem um valor de aproximadamente 100 milhões de euros e significará a criação de cerca de 400 postos de trabalho (500 em momentos de máxima ocupação) em suas instalações nas Astúrias (Espanha).

Vineyard Wind conferiu à empresa italiana Prysmian Group um contrato avaliado em 200 milhões de euros para a fabricação e implementação do sistema de cabo submarino que conectará o parque eólico offshore com a rede elétrica continental dos Estados Unidos. O projeto precisará de 134 quilômetros de cabos elétricos de corrente alternada de alta tensão.

Finalmente, a empresa norte-americana Southwire foi selecionada como principal fornecedora para a concepção, fabricação e instalação dos cabos terrestres. Dessa forma, no primeiro trimestre de 2023 fabricará e instalará mais de 51 quilômetros de cabos de alta tensão. Os cabos serão fabricados nas instalações da Southwire em Huntersville (Carolina do Norte), que usa tecnologia de ponta para produzir cabos de transmissão subterrâneos de alta e extra-alta tensão, que vão de 69kV até 500kV.

OUTROS PROJETOS

A Vineyard Wind apresentou às empresas de distribuição elétrica de Massachusetts um conjunto de propostas para desenvolver um segundo parque eólico offshore, Vineyard Wind 2, que se situaria ao sul do primeiro. As propostas incluem um projeto de 400 MW e duas opções para realizar outro de 800 MW.

Além disso, outro projeto, este no estado de Connecticut, já foi adjudicado pelo Departamento de Energia e Proteção Ambiental de Connecticut (DEEP). Com seus 804 MW, o parque de Park City Wind abastecerá, aproximadamente, 14 por cento do fornecimento de eletricidade de Connecticut e evitará a emissão de mais de 25 milhões de toneladas de emissões de carbono no estado. Sua silhueta não será visível desde nenhum ponto da costa de Connecticut.

Neste mesmo estado, a Vineyard Wind pretende associar-se com duas empresas locais, McAllister Towing e Bridgeport Boatworks, para desenvolver um porto eólico offshore em Bridgeport. Caso essa iniciativa seja aprovada, representará a criação de mais de 500 empregos em Connecticut na fase de construção e mais de 1.900 durante todo o projeto. Além disso, gerará mais de 4 bilhões de dólares de lucro para o estado, melhorará a confiabilidade da eletricidade e estabilizará os preços.

 

* AVANGRID, Inc. está participada em 81,5 % por Iberdrola. S. A.