ESAÚDE

eSaúde, quando a tecnologia se torna o melhor aliado para o bem-estar social

#sociedade #P+D+I #saúde

Durante a crise do coronavírus, alguns países se aliaram com o poder preditivo da big data para controlar a expansão global da pandemia. Este é somente um exemplo de como os progressos tecnológicos — agrupados sob a denominação de eSaúde (eHealth em inglês) — podem nos ajudar a cuidar e salvar milhões de vidas em todo o mundo quando são aplicados neste setor.

Atualmente, vivemos mais do que ontem, mas menos do que amanhã. Conforme dados do Banco Mundial, a nossa esperança de vida aumentou 20 anos desde 1960 e, como vaticina Gregory Stock (biofísico e ex-diretor do Programa de Medicina, Tecnologia e Sociedade da Universidade da Califórnia (UCLA), talvez cheguemos aos 150. Porém, o que ninguém duvida é que para viver mais e melhor teremos que fazer uso da pesquisa e da tecnologia, um binômio que tem conseguido conter o avanço da pandemia de COVID-19.

O QUE É A ESAÚDE?

O setor da saúde está passando por uma autêntica revolução digital com a inclusão da tecnologia nos seus processos. A saúde digital ou eSaúde —  tradução do inglês eHealth — se refere ao uso das tecnologias da informação e comunicação no setor da saúde para dotá-lo com recursos inovadores que permitam uma gestão mais eficiente e um diagnóstico mais aprimorado, em definitivo, de um melhor cuidado dos pacientes. Isto inclui inovações tanto na comunicação médico-paciente quanto na pesquisa ou gestão hospitalar, entre outros.

A eSaúde é uma indústria em expansão que em 2018 investiu a nível global 14,6 bilhões de dólares, segundo o portal de dados Statista, o que significou 1.200 % a mais do que em 2010. O interesse pela saúde digital chega a 58 % dos países membros da Organização Mundial da Saúde (OMS), pois possuem estratégias específicas para a digitalização da saúde.

SERVIÇOS DIGITAIS DE SAÚDE

A versatilidade das novas tecnologias também é uma das melhores qualidades na sua aplicação no âmbito da saúde. Detalhamos os serviços mais conhecidos:

  • Telemedicina. Este sistema facilita as consultas à distância, ou seja, permite cuidados de saúde para pessoas que estiverem em lugares remotos ou com um limitado acesso aos serviços de saúde. Além disso, significa uma poupança de tempo, despesas e deslocamentos tanto para médicos como para pacientes.
  • Apps. Graças aos aplicativos móveis sobre saúde, podemos converter nosso smartphone em um personal trainer, em um monitor de sono, em um diagnosticador, etc. Estes apps existem para profissionais da saúde e para pacientes.
  • Serious Games. Este tipo de jogos eletrônicos é utilizado como recurso educativo para o pessoal da saúde e estudantes para facilitar sua formação. Também há games para pessoas que queiram aumentar seus conhecimentos sobre determinadas patologias.
  • Tecnologia vestível. Mais conhecidos como wearables, incluem roupa e complementos inteligentes, como pulseiras, óculos e relógios, que monitoram e recolhem dados sobre nossa saúde e condição física.
  • Realidade aumentada. Por exemplo, serve para o pessoal da saúde visualizar órgãos em 3D ou consultar o histórico do paciente em tempo real. Com óculos especialmente pensados para a realidade aumentada é possível inclusive fazer intervenções cirúrgicas.
  • Histórico clínico eletrônico. A digitalização do nosso histórico médico permite centralizar a informação, de tal forma que o paciente possa compartilhá-lo de forma segura e o médico ter acesso ao mesmo quando quiser.

O ecossistema digital da saúde.#RRSSO ecossistema digital da saúde.

 VER INFOGRÁFICO: O ecossistema digital da saúde [PDF]

VANTAGENS E BENEFÍCIOS DA ESAÚDE

A saúde digital, graças a serviços como os mencionados anteriormente, permite aplicar novos métodos, meios, ferramentas e canais que significam uma série de benefícios:

 Melhora o monitoramento dos pacientes

O contato é mais direto, pois abre uma via de comunicação digital que reduz a distância entre o médico e o paciente. A tecnologia também permite monitorar o estado de saúde dos pacientes para registrar sua evolução em tempo real.

 Os pacientes têm mais informação

Ao ter mais conhecimentos e melhor gestão sobre sua própria saúde, os pacientes podem tomar melhores decisões a respeito. Também permite o acesso a manuais e boas práticas através das TICs, algo muito útil, por exemplo, durante uma pandemia si as fontes são fiáveis.

 Ajuda a adquirir hábitos mais saudáveis

As novas tecnologias estão modificando a forma em que nos cuidamos, quer seja registrando o que comemos, o exercício físico que fazemos ou monitorando o sono ou a frequência cardíaca via apps e outros dispositivos tecnológicos.

 Facilita a tomada de decisões do pessoal de saúde

O uso da saúde digital também está transformando o manejo das doenças por parte dos profissionais. A tecnologia permite, por exemplo, identificar mais facilmente as intervenções mais apropriadas ou a detecção precoce de doenças.

 Promoção de um sistema de saúde mais acessível e equitativo

O acesso aos serviços de saúde se torna independente do tempo e espaço; e evita deslocamentos desnecessários. Além disso, leva a saúde até mais pessoas, especialmente aos doentes em risco de exclusão social, gerando uma maior igualdade de oportunidades.

 Melhora a eficiência dos hospitais e centros de saúde

A conectividade destas instalações agiliza o funcionamento do sistema de saúde, minimiza a margem de erro humano e diminui as despesas. Além disso, técnicas como a big data permitem automatizar processos.

NOVAS TECNOLOGIAS EM SAÚDE

A digitalização da saúde inclui o uso de novas tecnologias. Revisamos algumas delas e suas aplicações concretas:

  • Internet of Things (IoT)

A Internet das Coisas permite personalizar o atendimento da saúde, poupar gastos e reduzir os erros de diagnóstico e os tempos de espera. A conexão entre o mundo físico e o digital em instrumentos como inaladores ou audímetros, entre outros, será fundamental.

  • Big data

A análise de grandes quantidades de dados através da big data permite personalizar tratamentos e detectar fatores de risco e possíveis efeitos secundários dos medicamentos. Esta tecnologia foi decisiva para conhecer e controlar melhor a expansão da COVID-19.

  • Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial facilita a tomada de decisões exaustivas por parte do pessoal de saúde para, desta forma, oferecer os melhores tratamentos. Durante a crise do coronavírus serviu para identificar a sequência de anticorpos compatíveis com futuras terapias.

  • Blockchain

O blockchain permite um acesso seguro aos históricos dos pacientes, o que repercute em mais eficiência administrativa. Nesse sentido, os laboratórios farmacêuticos também podem ter um registro mais preciso da fabricação dos medicamentos.

  • Impressão 3D e 4D

O uso da impressão 4D nas ecografias permite, por exemplo, saber com mais precisão o desenvolvimento estrutural e funcional do sistema nervoso do feto. Por outro lado, a escassez de material de saúde durante a crise do coronavírus provocou a fabricação de peças de saúde com impressoras 3D.

  • Chatbots

Os chatbots ao torná-la mais rápida e direta. A Organização Mundial da Saúde (OMS) habilitou um destes canais durante a pandemia da COVID-19.

  • Realidade virtual

Os principais usos que permite uma tecnologia como a realidade virtual incluem a formação prática de profissionais da área da saúde, a reabilitação de pacientes e o tratamento de transtornos psicológicos.