UM ECOSSISTEMA INOVADOR

Uma viagem pelas cidades mais inovadoras do mundo

Num mundo submetido a uma constante transformação pela revolução digital, a inovação tornou-se imprescindível. Além de ser certo para o mundo dos negócios, também é válido para as cidades. Descubra quais são as mais inovadoras e competitivas do mundo e quais são os critérios que as levaram até os primeiros postos.

No turbilhão de um mundo submetido a uma transformação permanente pela revolução digital, ficar estancado significa uma ameaça para a sobrevivência. Na Quarta Revolução Industrial, a inovação se converteu numa necessidade e muitas empresas já a consideram um aspecto central de sua estratégia. De acordo com a revista Forbes, a inovação é fundamental para as empresas porque lhes permite adentrar mais rápido nos mercados, criar conceitos originais e crescer com mais facilidade.

Porém, a inovação não é só fundamental no mundo dos negócios. Hoje em dia, também é fundamental para o sucesso de uma cidade. A conjunção de inovação e talento nas cidades gera mais produtividade e um maior crescimento econômico no longo prazo. Da mesma forma, as cidades que combinam estas duas características também são mais resilientes com relação às crises econômico-financeiras.

CHAVES PARA DESENVOLVER UMA CIDADE INOVADORA

Conforme o relatório Innovation Geographies publicado em 2019, que analisa quais são as cidades mais inovadoras e com maior concentração de talento do mundo, os principais indicadores para avaliar o nível de inovação de uma cidade são: Investimento Estrangeiro Direto (IED) em indústrias de alta tecnologia, valores de capital risco, gasto em investimento e desenvolvimento e número de petições de patentes internacionais.

Por outro lado, os principais indicadores para medir a concentração de talento presente numa cidade são: qualidade da educação superior, nível educativo da população, porcentagem da mesma entre 20 e 40 anos e porcentagem de emprego em indústrias de alta tecnologia. Em São Francisco, considerada a cidade mais inovadora do mundo, e em outras similares, está começando a aparecer um estranho paradoxo: a especulação imobiliária como fruto de seu boom está começando a afetar o acesso à moradia desse intervalo de idade.

AS CIDADES MAIS INOVADORAS DO MUNDO

Seguindo os critérios antes expostos, a JLL determinou que as cinco cidades mais inovadoras do mundo são:

1. São Francisco (EUA)

É a cidade do mundo com o maior número de start-ups. Além disso, algumas das universidades mais consideradas a nível internacional têm sua base na baía de São Francisco.

2. Tóquio (Japão)

É a cidade que gera o maior número de patentes do mundo. Da mesma forma, também lidera o mercado em diferentes tecnologias, desde máquinas elétricas até nanotecnologia. Também é a sede do maior número de corporações multinacionais, como Sony, SoftBank ou Toyota.

3. Cingapura (República de Cingapura)

Está crescendo em termos do número de start-ups e é um importante centro de P+D. Do mesmo modo, é o principal destino do mundo do Investimento Estrangeiro Direto (IED) em indústrias de alta tecnologia.

4. Pequim (China)

Possui um ecossistema de inovação bem enraizado, o qual nutriu a maioria de empresas unicórnio fora de Silicon Valley e é o terceiro maior destino mundial do financiamento de capital risco. Também é a sétima cidade do mundo no numero de petições de patentes.

5. Londres (Reino Unido)

Quase 15% de sua força de trabalho trabalha em setores de alta tecnologia. Por outra parte, ocupa a primeira posição mundial na concentração de talento graças às suas universidades de primeira classe e à sua força de trabalho altamente educada.

As 10 cidades mais inovadoras do mundo.#RRSSAs 10 cidades mais inovadoras do mundo.

 VER INFOGRÁFICO: As 10 cidades mais inovadoras do mundo [PDF]

A INOVAÇÃO COMO CHAVE PARA A COMPETITIVIDADE

Anualmente, a consultoria de estratégia e negócio A.T. Kearney publica o relatório Global Cities Report, onde analisa quais são as cidades mais competitivas e com maior potencial do mundo. De acordo com a sua edição 2019, estes são, nesta ordem: Nova York, Londres, Paris, Tóquio, Hong Kong, Cingapura, Los Angeles, Chicago, Pequim e Washington D.C.

Em concreto, este relatório elabora seu ranking de competitividade de acordo com 27 métricas englobadas em cinco categorias com diferentes pesos:

 Atividade de negócios (30%): fluxo de capital, dinâmica do mercado e maiores companhias. Esta categoria está liderada por Nova York.

 Capital humano (30%): níveis educativos. Esta categoria também está liderada por Nova York.

 Intercâmbio de informação (15%): acesso à informação através da Internet e outras fontes. Esta categoria está liderada por Paris.

 Experiência cultural (15%): acesso a grandes acontecimentos culturais. Esta categoria está liderada por Londres.

 Compromisso político (10%): eventos políticos, think tanks e embaixadas. Esta categoria está liderada por Bruxelas.