Caminhões elétricos

Caminhões elétricos: o futuro da logística rodoviária sustentável

Transporte Mobilidade elétrica

A logística do transporte rodoviário, fundamental para a economia global ao permitir o trânsito de mercadorias e produtos, se tornou um dos setores mais poluentes do mundo. Diante desse desafio, os caminhões elétricos surgem como uma alternativa para o transporte sustentável. Descubra seu crescente papel na logística terrestre e sua contribuição para a eletrificação da economia.

Camiones eléctricos
Os caminhões elétricos são alimentados por baterias recarregáveis, o que permite um transporte com zero emissões e sem dependência de combustíveis fósseis.

A poluição e a dependência de combustíveis fósseis são os dois principais desafios enfrentados pela mobilidade global. Embora os veículos a combustão continuem circulando em nossas estradas, os dados apontam a uma necessidade de realizar uma verdadeira mudança no transporte: suas emissões cresceram a uma taxa média anual de quase 1,7 % entre 1990 e 2021 em todo o mundo, registrando o maior ritmo de crescimento em comparação com qualquer outro setor de uso final, de acordo com a Agência Internacional de Energia (AIE).

Alcançar a autonomia energética por meio da eletrificação e das energias renováveis é o grande desafio que a Europa enfrenta se quiser evitar as pressões e ameaças à sua economia e ao seu modelo social.

O transporte rodoviário é responsável por aproximadamente 24 % de todas as emissões de gases de efeito estufa no mundo, de acordo com a Agência Internacional de Energia (IEA). Embora não haja um número preciso sobre a porcentagem exata de emissões que se atribuem às operações de carga terrestre, estima-se que elas representam uma proporção considerável das emissões totais do setor de transporte. Na Espanha, o transporte rodoviário é responsável por 26,8 % do total de emissões nacionais de gases de efeito estufa e o transporte de carga (com 97 % dele sendo rodoviário na Espanha) é responsável por 8,19 %, de acordo com dados oficiais de 2019.

A mobilidade sustentável é uma parte fundamental da transição energética: desenvolver o transporte verde é essencial para alcançar a descarbonização e mitigar as consequências das mudanças climáticas. No setor de logística, os caminhões elétricos surgem como uma solução tecnológica e economicamente viável, sendo a mais eficiente e limpa à nossa disposição para avançar em direção a um futuro mais verde. Mas como eles funcionam e quais são suas vantagens?

O que são caminhões elétricos e como eles funcionam?

Caminhões elétricos são veículos de carga que usam motores elétricos em vez de motores de combustão interna movidos a gasolina ou diesel. Esses caminhões são alimentados por baterias recarregáveis que fornecem energia para os motores, permitindo que eles circulem sem emitir gases prejudiciais e sem depender de combustíveis fósseis.

A eletrificação do transporte rodoviário é diferente da dos carros elétricos particulares e dos veículos comerciais. O peso e as dimensões dos caminhões elétricos exigem baterias muito maiores com pontos de recarga mais potentes, e o projeto de infraestrutura também deve facilitar o acesso desses veículos, considerando suas dimensões e os raios de giro necessários.

Vantagens e desvantagens do caminhão elétrico

Os caminhões elétricos oferecem várias vantagens em relação aos caminhões convencionais de combustão interna:

Reduções de emissões

Os caminhões totalmente elétricos não produzem emissões diretas de gases de efeito estufa, o que contribui para a redução da poluição do ar e do impacto ambiental. No entanto, seus efeitos sobre o meio ambiente dependem do tipo de energia usada para gerar a eletricidade (renovável ou não renovável). De qualquer forma, esses modelos de veículos produzem pelo menos 63 % menos emissões durante sua vida útil em comparação com os veículos a diesel, de acordo com um estudo do Conselho Internacional de Transporte Limpo (ICCT).

O transporte pesado eletrificado tem a garantia de um futuro livre de emissões em um cenário em que a matriz energética está se tornando cada vez mais renovável. Esse é o caso, por exemplo, da União Europeia, que em 2021 obteve 22 % de sua energia total a partir de energias renováveis, de acordo com o Eurostat.

 Menos barulho

Os motores elétricos são mais silenciosos do que os motores de combustão interna, o que reduz a poluição sonora em áreas urbanas e residenciais.

Zonas de baixa emissão (ZBE)

As zonas de baixa emissão são áreas específicas de uma cidade que restringem o acesso aos veículos mais poluentes. Existem registros de grandes cidades que têm sido referência no estabelecimento de limites para o tráfego urbano. Esse é o caso de Berlim, com sua ZBE em operação desde janeiro de 2008 e cobrindo uma área de 88 quilômetros quadrados. Também se destaca Londres, que em 2003 criou uma "taxa de congestionamento" ou pedágio para a área central da capital e, em 2019, inaugurou a Zona de Emissões Ultrabaixas. Essas medidas de referência estão ganhando cada vez mais espaço em outras cidades e países, como na Espanha, onde pelo menos 149 municípios (aqueles com mais de 50.000 habitantes) são obrigados pela lei de mudanças climáticas a ter ZBEs onde o veículo de transporte por excelência seja elétrico.

Custos operacionais mais baixos

Os caminhões elétricos têm custos operacionais mais baixos. A eletricidade é mais barata do que a gasolina ou o diesel e os veículos elétricos contam com menos peças móveis e uma menor necessidade de manutenção.

Eficiência energética

Os motores elétricos têm uma eficiência de conversão de energia mais alta e nenhuma perda de energia associada à combustão. Enquanto o hidrogênio verde e o combustível sintético têm eficiências de 28 % e 20 %, respectivamente, o caminhão 100 % elétrico supera uma taxa de 77 %, sendo de 3 a 5 vezes mais eficiente do que outras alternativas de emissão zero.

Evolução tecnológica

Esse tipo de transporte representa uma tecnologia em constante evolução. Com os avanços na capacidade das baterias e na infraestrutura de recarga, espera-se que os caminhões elétricos se tornem cada vez mais viáveis e competitivos no mercado de transporte de carga. Além disso, seu desenvolvimento também tem consequências positivas para outros tipos de transporte, como os veículos de turismo ou os ônibus elétricos, por exemplo.

Por outro lado, os caminhões elétricos ainda apresentam uma série de desvantagens. Sua autonomia é a principal desvantagem, já que, para aumentá-la, é necessário fabricar baterias maiores, o que também aumenta a tara do veículo. As melhores densidades de energia das baterias nos permitem pensar em um futuro promissor com caminhões com uma maior autonomia.

Além disso, recarregar suas baterias leva mais tempo do que encher um tanque de combustível (de 1,5 a 7 horas, dependendo do modelo e da infraestrutura utilizada) e é preciso levar em conta que a infraestrutura de recarga ainda está em desenvolvimento. No entanto, graças ao novo padrão MCS (Megawatt Charging System), a nova geração de caminhões poderá recarregar com potências de mais de 1 MW, possibilitando a recuperação de energia em menos de 45 minutos, o mesmo tempo da parada obrigatória para descanso.

Os preços dos caminhões elétricos variam muito, dependendo de suas características e dos fabricantes, mas tendem a ter um custo inicial mais alto em comparação com os motores de combustão interna, embora esse custo diminua com o tempo. De acordo com um estudo da consultoria alemã BCG, até 2025 os caminhões elétricos igualarão o preço de venda dos caminhões a diesel.

Caminhões elétricos no mundo: situação do setor

O setor de caminhões elétricos está vivendo um importante crescimento em todo o mundo. São destaques:

  • China. Líder no mercado de caminhões elétricos, a China experimentou um rápido crescimento nos últimos anos. Fabricantes como BYD, SANY e JAC Motors se destacam no setor de transporte do país. O governo implementou políticas e subsídios para incentivar a adoção de veículos elétricos para o transporte de carga.
  • Estados Unidos. O mercado de caminhões elétricos está crescendo exponencialmente nos EUA, com vários fabricantes lançando ou planejando o lançamento de modelos de caminhões elétricos. Um exemplo é a Tesla. Programas de incentivo e financiamento também estão sendo implementados para promover a adoção desse tipo de veículo.
  • Europa. O interesse em caminhões elétricos na Europa também está crescendo. Vários fabricantes europeus, como Scania, MAN, Volvo ou Daimler Trucks, estão desenvolvendo modelos diferentes e há um foco crescente na infraestrutura de recarga. Além disso, estão sendo implementadas regulamentações mais rígidas para reduzir as emissões no setor de transporte.

Particularmente na Espanha, a implantação de caminhões elétricos está apenas começando. O setor se situa em um estágio inicial em comparação com outros países, mas continua crescendo. Por exemplo, já existem as primeiras estações de recarga ultrarrápida adaptadas para caminhões. Além disso, junto com a Disfrimur, lançamos o primeiro corredor mediterrâneo para o transporte rodoviário pesado livre de emissões, com as primeiras estações específicas para caminhões elétricos.

Acima de tudo, a perspectiva é de esperança. De acordo com um estudo da empresa de consultoria norte-americana McKinsey, mais da metade de todos os caminhões registrados na Europa, nos Estados Unidos e na China serão elétricos até 2035. 

O futuro dos caminhões elétricos

A implantação da mobilidade elétrica e, em particular, dos caminhões elétricos, acarretam vários desafios a serem enfrentados para que haja uma adaptação mais ampla. Algumas das principais tendências do setor são:

  • Maior alcance. Os fabricantes estão trabalhando para aumentar o alcance dos caminhões elétricos, um fator essencial para melhorar a eficiência e reduzir o tempo de inatividade. O objetivo é dar a esses veículos maior alcance e permitir que eles concorram com os caminhões a diesel em termos de quilometragem.

  • Aumento da demanda. A demanda por caminhões elétricos está aumentando como resultado de uma maior preocupação ambiental, regulamentações mais rígidas sobre emissões e a necessidade de reduzir os custos operacionais.
  • Desenvolvimento da infraestrutura de recarga. A criação de uma infraestrutura de recarga adequada, especialmente ultrarrápida e megarrápida, é um fator fundamental para a implantação de caminhões elétricos. Grande parte dos esforços em torno da mobilidade elétrica se concentra no aumento dessa rede de altíssima potência com carregadores de mais de 1 MW.
  • Aumento do investimento em tecnologia. As empresas estão investindo cada vez mais em pesquisa e desenvolvimento de tecnologia para caminhões elétricos com o objetivo de melhorar a eficiência energética, o alcance, a capacidade e o tempo de recarga. Com relação a esse último ponto, os avanços mais promissores surgem com o Megawatt Charging System (MCS), que está em desenvolvimento e permitirá uma recarga mais rápida, como comentado anteriormente.