ENTREVISTA COM SCM, SOLARCLEANO, MORESUN E KIPP & ZONEN

Conheça os vencedores do 'Start-up Challenge' de limpeza de placas fotovoltaicas

#sustentabilidade ambiental #P+D+I #empreendimento

Quatro empresas foram selecionadas para realizar seus projetos-pilotos no Start-up Challenge: Limpeza de placas fotovoltaicas. Conversamos com elas para conhecer um pouco melhor os projetos que as levaram a vencer esse desafio e cujo objetivo consistia em encontrar soluções por via seca, sustentáveis e de baixo custo para melhorar os processos de limpeza de placas solares em projetos fotovoltaicos de grande porte.

As start-ups vencedoras foram a MoreSun (Estados Unidos), desenvolvedora de componentes de revestimentos ópticos e antissujeira; a SCM (Espanha), que se dedica a projetar e fabricar robôs de limpeza para usinas fotovoltaicas; a SolarCleano (Luxemburgo), que projeta e fabrica robôs de limpeza de placas solares e a Kipp & Zonen (Holanda) — esta já veterana — que fornece instrumentos de medição da radiação solar e das propriedades atmosféricas em meteorologia, climatologia, hidrologia, indústria, energias renováveis, agricultura e saúde pública.

ROBÔS LIMPADORES

A SCM e a SolarCleano venceram este Challenge nas categorias Robôs (multifilar e monofilar respectivamente), graças aos seus robôs de limpeza de placas.

A SCM recebeu o prêmio pelo seu modelo Sahara. "O sistema — explicam seus desenvolvedores — tem elementos mecânicos (caixas redutoras, rodas, escovas, etc.), eletrônicos (sistema operacional programável, tecnologia de sensores de fim de percurso, etc.) e auxiliares".

O que diferencia esse sistema de outros, acrescentam, é sua robustez, pois suporta as condições ambientais agressivas que esse tipo de instalação costuma sofrer e permite realizar tanto limpeza seca quanto úmida.

O ponto forte do robô da SolarCleano, por sua vez, foi sua portabilidade e o fato de poder ser manejado de forma remota. Segundo seus criadores "a maior parte do pessoal da limpeza trabalha sozinha. Por isso é necessário ter um robô que seja fácil de levantar, transportar, manobrar e que possa ser manejado em uma posição segura a partir do chão".

A SolarCleano destaca que "pode ser desmontado [por um único trabalhador], controlado remotamente e funciona com baterias". Além disso, "suas quatro escovas podem ser trocadas e combinadas, adaptando-se aos diferentes tipos de sujeira de cada instalação".

REVESTIMENTOS E SENSORES

A Pellucere Technologies venceu na categoria Revestimentos com MoreSun, uma família de revestimentos antirreflexos e antissujeira que pode reduzir a taxa de sujeira de forma significativa nos módulos solares em ambientes quentes e secos, aumentando assim a eficiência energética. Sua aplicação também permite reduzir a refletividade dos módulos.

Seus criadores afirmam que "MoreSun é o resultado de mais de uma década de desenvolvimento em revestimentos ópticos avançados para a energia e outros setores", e que atualmente estão em contato com vários fabricantes de módulos solares para que estes proponham seu produto como opção de fábrica.

A mais veterana das empresas é a Kipp & Zonen, cujo sensor DustIQ pode ser instalado em modelos fotovoltaicos reais para medir a quantidade de sujeira e calcular a energia perdida por causa da mesma.

"A sujeira não é apenas um problema para nossos clientes proprietários de usinas fotovoltaicas que precisam produzir o máximo de energia, ela também dificulta a medição da luz solar que entra", explicam. Isso é importante porque "a luz solar que entra é o ponto de partida para calcular o Performance Ratio (Índice de Desempenho), um indicador do nível de manutenção e eficiência da usina".

Por isso, dizem que, enquanto trabalhavam nesse problema, consideraram "mais lógico medir opticamente a sujeira dos módulos fotovoltaicos sem ter que limpar as células ou placas de referência".

Além disso, "como não possui partes móveis e não precisa de limpeza, não exige manutenção", indicam seus projetistas.

IBERDROLA, UMA REFERÊNCIA NO SETOR

As quatro empresas vencedoras do Challenge opinam que é muito importante vencer um desafio como esse através da Iberdrola, "uma referência no setor", com uma carteira de projetos de mais de 30 GW fotovoltaicos, assim como pelo fato de poderem testar seus produtos e pela possível repercussão midiática que terão.

"Termos sido selecionados lança uma luz sobre nossas atividades e permite mostrar a qualidade de nossos robôs", esclarece a SolarCleano. "A simples menção da SolarCleano em uma publicação da Iberdrola no LinkedIn já despertou o interesse de mais gente. O Start-up Challenge também nos permitirá encontrar apoio nos conhecimentos da Iberdrola sobre o setor de placas solares".

A MoreSun também vê esse desafio como "uma oportunidade perfeita para trabalhar com um dos proprietários de energia renovável mais experientes do mundo".

"Em nosso caso, vemos claramente a questão da repercussão midiática e a oportunidade de fazer estudos de campo, análise de novas soluções, etc.", relata a SCM. "Mas, sobretudo, o fato de a Iberdrola nos ter permitido caminhar com ela em seus projetos, o que permitirá que no futuro sejamos levados em conta desde as fases iniciais de projeto."

COMO ELES ANALISAM A IMPLANTAÇÃO DE SUAS IDEIAS NA INDÚSTRIA FOTOVOLTAICA?

Quanto a considerar a possibilidade de que todas as instalações fotovoltaicas no futuro estejam equipadas com suas invenções, a que mais acredita nessa possibilidade é a Kipp & Zonen, pois não tem dúvidas sobre a utilidade de seu sensor. Declaram que "certamente serão aplicados em todos os âmbitos onde a sujeira provoca perdas de energia superiores a 2 %". "Dessa forma se excluem as áreas muito chuvosas e se incluem todas as áreas áridas e os lugares próximos a atividades humanas onde se gera pó, como a mineração ou as instalações de compostagem".

A SolarCleano tem uma posição parecida, pois afirma que, "dado que já é uma tendência emergente, pensamos que no futuro nenhuma instalação solar será construída sem considerar a possibilidade de sua limpeza. Nosso objetivo é converter nossa solução em uma referência para responder a essa necessidade".

Na SCM não são tão otimistas. "O problema que nós temos são as diferenças de critério existentes dentro das empresas, especificamente entre os departamentos de Construção e o de Operação e Manutenção. Portanto, na hora de projetar as usinas, embora pouco a pouco isso esteja mudando, ainda não se consideram alguns elementos indispensáveis para uma limpeza rápida e eficiente. Atualmente dependemos mais da tipologia da usina do que das próprias placas".

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE OS VENCEDORES

A mais jovem das start-ups selecionada é a Pellucere Technologies, que criou o revestimento MoreSun. Nascida na Universidade Estatal de Oregon, seu produto de apresentação foi o revestimento antirreflexo MoreSun para modernizar o mercado solar em 2019. Esperam lançar várias versões comerciais de sua próxima linha de produtos que inclui a película antissujeira instalada no campo e avaliada no Start-up Challenge, no começo de 2021. Atualmente têm projetos de instalações ativas MoreSun nos EUA, Canadá, Alemanha, Itália e Espanha.

A SolarCleano criou seu primeiro protótipo em 2017 e o apresentou na feira Intersolar. Hoje já são mais de 10 pessoas e estão em mais de 30 países e quatro continentes, e em contato com empresas parceiras e clientes potenciais em vários lugares.

A SCM — a única espanhola das quatro — nasceu em 2015 "com a ideia de resolver o problema da perda de eficiência das placas fotovoltaicas". Têm um departamento de engenharia, uma oficina para fabricar suas soluções e um terreno para testar os equipamentos. E já oferecem um serviço de limpeza para instalações fotovoltaicas. Seus equipamentos estão funcionando através de nossos clientes na Espanha, Chile, El Salvador, Honduras, México, Kuwait, Arábia Saudita, Egito, Jordânia, Austrália, Japão, etc.

A mais veterana, de longe, é a Kipp & Zonen, que foi fundada em 1830, embora sua chegada à energia solar tenha sido mais recente. "Há cerca de 15 anos a energia solar realmente decolou e as pessoas começaram a buscar soluções adequadas para a medição da radiação solar a fim de comprovar a eficiência de suas instalações fotovoltaicas. Ao ser uma das poucas empresas fornecedoras e gozar de uma boa reputação no setor meteorológico, as pessoas automaticamente se dirigiram à Kipp & Zonen." A Kipp & Zonen está presente em todo o mundo.