QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

Indústria 4.0: que tecnologias marcarão a Quarta Revolução Industrial?

#empresa #sociedade #P+D+I

A Indústria 4.0 é a origem de uma nova revolução — conhecida como Quarta Revolução Industrial — que mistura técnicas de produção de vanguarda com sistemas inteligentes que se integram com as organizações e pessoas. A seguir, repassaremos as tecnologias que protagonizam este processo e seu vertiginoso progresso.

Quem não estudou a Primeira Revolução Industrial no colégio? Aquela em que a máquina de vapor inventada por James Watt em 1769 se estabeleceu como protagonista. Aquela que significou o passo de uma economia agrícola para uma economia industrial. Em resumo, a Primeira Revolução Industrial foi o maior conjunto de transformações econômicas, tecnológicas e sociais vividas até o momento. Mais de dois séculos depois, a Quarta Revolução Industrial substitui a anterior ainda com mais força.

O QUE É A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

O conceito de Quarta Revolução Industrial foi dado em 2016 por Klaus Schwab, fundador do Fórum Econômico Mundial, em uma obra homônima. Portanto, nada melhor do que ir às suas páginas para encontrar uma definição: "A Quarta Revolução Industrial gera um mundo no que os sistemas de fabricação virtuais e físicos cooperam entre si de uma maneira flexível a nível global". Porém, não consiste somente em sistemas inteligentes e conectados. Seu alcance é mais amplo e vai desde o sequenciamento genético até a nanotecnologia, e das energias renováveis à computação quântica. É a fusão destas tecnologias e sua interação por meio dos domínios físicos, digitais e biológicos que fazem com que a Quarta Revolução Industrial seja diferente das anteriores".

COMO SURGE A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

Para abordar como chegamos à Quarta Revolução Industrial é conveniente olhar para trás e revisar as três revoluções industriais anteriores, e como cada uma delas mudou a forma de ser e estar no mundo em sua época. A seguir, as resumimos:

  • Primeira Revolução Industrial. Chega quase ao final do século XVIII, em 1784, com o uso do vapor na produção mecânica. O aparecimento do primeiro tear mecânico é um de seus marcos.
  • Segunda Revolução Industrial. Em 1870 tem início a produção em grande escala baseada na eletricidade. Inventa-se a cadeia de montagem e o setor industrial vive uma extraordinária aceleração.
  • Terceira Revolução Industrial. Em 1969, com a informática, começamos a programar as máquinas, o que resulta em uma progressiva automatização.

Por volta de 2014, a indústria vivencia outro giro de 180º: surgem as fábricas inteligentes e a gestão online da produção. Retornando a Schwab, no seu livro A Quarta Revolução Industrial, o economista alemão traduzia em palavras o que se aproximava: "Estamos à beira de uma revolução tecnológica que modificará a forma que vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Em uma escala de alcance e complexidade, a transformação será diferente de qualquer coisa que o gênero humano já experimentou antes". E efetivamente está sendo assim por três motivos com os quais os especialistas estão de acordo: sua velocidade, seu alcance e seu impacto sem precedentes.

As revoluções industriais ao longo da história.#RRSSAs revoluções industriais ao longo da história.

 VER INFOGRÁFICO: As revoluções industriais ao longo da história [PDF]

EFEITOS E VANTAGENS DA QUARTA REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA

Qualquer revolução, de qualquer natureza, implica vantagens e desvantagens, desafios e oportunidades, incertezas e certezas. As vantagens, no caso da Quarta Revolução Industrial, são evidentes: melhoria da produtividade, a eficiência e qualidade nos processos, da segurança para os trabalhadores pela redução de empregos em locais perigosos, ao contar com ferramentas que nos permitem tomar decisões baseadas em dados, da competitividade ao desenvolvermos produtos personalizados que satisfazem as necessidades dos consumidores, etc.

Em relação aos inconvenientes, os especialistas apontam: a enorme velocidade das mudanças e sua adaptação às mesmas, os crescentes riscos cibernéticos que obrigam a redobrar a cibersegurança, a alta dependência tecnológica e a denominada exclusão digital, a falta de pessoal qualificado, etc. Em relação a este último ponto, convém lembrar o profundo impacto da Indústria 4.0 sobre o emprego como um dos grandes desafios da Quarta Revolução Industrial. No início do processo, um relatório da McKinsey Global afirmava que até 2030 seriam perdidos 800 milhões de trabalhos como consequência da robotização. No entanto, isso também pode se converter em uma oportunidade, já que com o aparecimento de novas tecnologias surgem novas profissões que criam milhões de postos de trabalho em setores emergentes.

TECNOLOGIAS DA QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

A Inteligência Artificial se apresenta como uma das tecnologias fundamentais na profunda transformação da economia, da sociedade e do mercado de trabalho. Além desta, a empresa de consultoria Michael Page adiciona outras tecnologias fundamentais para a indústria inteligente, conforme resumimos a seguir:

 Internet das coisas

A tecnologia do Internet das coisas, que nasceu para estabelecer uma conexão entre o mundo físico e o digital, revolucionou numerosos setores. De fato, bilhões de dispositivos já estão interconectados e isso só vai aumentar até que os objetos se tornem inteligentes.

 Cobots

A robótica não deixa de evoluir e estes cobots, especialmente criados para interagir fisicamente com os humanos em ambientes colaborativos, serão peças-chave na indústria. Entre outras coisas, otimizam a produção e afastam os trabalhadores das tarefas monótonas ou perigosas.

 Realidade aumentada e realidade virtual

Realidade aumentada e realidade virtual, tecnologias, que combinam o mundo real com o digital graças à informática, permitem enriquecer a experiência visual das pessoas, sejam eles usuários ou consumidores, gerando experiências imersivas.

 'Big data'

A informação é poder. Em plena Quarta Revolução Industrial poderíamos trocar informação por dados. O big data permite a gestão e interpretação de dados em massa com fins empresariais, especialmente relevantes na hora de criar estratégias comerciais ou de tomar decisões.

 Impressão 3D e 4D

Atualmente é possível desenvolver protótipos — ou diretamente produtos para a venda — tridimensionais de forma rápida, precisa e econômica com uma impressora 3D ou 4D. Esta tecnologia é utilizada cada vez mais em diferentes setores — design, arquitetura, engenharia, etc. —.